Saltar para a informação do produto
1 de 4

Caleidoscópio

João de Freitas Branco no Teatro Nacional de São Carlos

João de Freitas Branco no Teatro Nacional de São Carlos

Bernardo Rodrigo

Preço normal €15,90 EUR
Preço normal €14,31 EUR Preço de saldo €15,90 EUR
10% de Desconto Esgotado
Imposto incluído. Envio calculado na finalização da compra.
ISBN: 978-989-658-789-5
Ver detalhes completos

Sinopse

Em 1970, ainda em pleno arranque da chamada Primavera Marcelista, era nomeado diretor do Teatro Nacional de São Carlos o musicólogo e crítico musical João de Freitas Branco (1922-1989), que se manteria neste cargo até 1974. Presidente, durante anos, da Juventude Musical Portuguesa, Freitas Branco adquirira uma extrema popularidade junto das audiências da Rádio e Televisão pelos dotes de comunicador evidentes nos seus programas de divulgação da Música Erudita, e ao mesmo tempo era, reconhecidamente, um nome próximo dos circuitos culturais da Oposição Democrática. A sua chegada ao São Carlos seria, assim, marcada por um projeto multifacetado de diversificação do repertório, de promoção de novas linguagens cénicas, de formação de músicos profissionais e de alargamento dos públicos, que suscitaria já então considerável polémica e que desde então tem continuado a ser objeto de leituras contraditórias no quadro do debate sobre as políticas públicas para o Teatro de Ópera em Portugal.
Bernardo Rodrigo equaciona e analisa o mandato decisivo de João de Freitas Branco no São Carlos com base num vasto acervo de documentação de arquivo, na consulta atenta da Imprensa e na re-colha de depoimentos de personalidades marcantes da vida musical portuguesa da época.
Conforme refere Rui Vieira Nery no Prefácio, “um dos grandes contributos deste trabalho de Bernardo Rodrigo, para lá dos que decorreriam sempre da abrangência da sua pesquisa de fontes e do rigor da sua reflexão, está precisamente na forma como nos apresenta os factos, devidamente fundamentados, sem cair na armadilha de os ler em função de qualquer das apropriações abusivas a que, quer ainda em sua vida quer, por maioria de razão, depois da sua morte, o legado de João de Freitas Branco como gestor do São Carlos tem sido sujeito por parte de outros projetos”.

Detalhes

Autor(a): Bernardo Rodrigo
Edição: 00.2022
Formato: 170 x 240 mm 
Páginas: 198
Tipo capa: brochado ou cartonado (apagar o que não interessa) 
Editor: Caleidoscópio